Governo de Canadá
Símbolo Governo de Canadá

Governo do Canadá

brasil.gc.ca

Breadcrumb

  1. Página inicial

Relações Canadá-Brasil

Um parceiro chave para o Canadá

Relações Diplomáticas e Representações Oficiais

O Canadá abriu seu primeiro escritório comercial no Brasil em 1866. A Embaixada do Canadá no Brasil foi aberta em 1944. Jean Désy foi o primeiro Embaixador do Canadá no Brasil.

Em maio de 1941, o Brasil abriu uma missão diplomática em Ottawa. O primeiro Embaixador do Brasil no Canadá foi João Alberto Lins de Barros.

No Brasil, o Canadá é representado pela Embaixada do Canadá em Brasília. O Canadá também é representado pelos Consulados-Gerais em São Paulo e no Rio de Janeiro. O Serviço Canadense de Promoção Comercial também tem escritórios em Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre.

O Brasil é representado no Canadá por uma Embaixada em Ottawa. O Brasil também tem consulados em Montreal, Toronto e Vancouver.

Relações bilaterais

O Brasil, uma prioridade para o governo do Canadá, está na interseção (em destaque na) da Estratégia do Governo do Canadá no Engajamento com as Américas, no Plano de Ação para Mercados Globais e na Estratégia Internacional de Educação. 

As relações do Canadá com o Brasil se tornaram cada vez mais estreitas tendo por base nossos interesses estratégicos e compromissos baseados na promoção da segurança, prosperidade e governança democrática. Nossa relação tem sido fortalecida pela cooperação extensiva de todo o governo em diversos setores, tais como: saúde, educação, defesa, agricultura e ciência e tecnologia.

O Canadá e o Brasil compartilham governança democrática, economias estáveis, recursos naturais abundantes, territórios vastos e pouco habitados, bem como a riqueza que vem da diversidade multicultural, incluindo nossas populações indígenas. As relações do Canadá com o Brasil vêm crescendo, o que é confirmado, pela expansão do comércio e de investimentos e por maior interesse mútuo em aprender mais sobre o outro, tanto sob a ótica das políticas públicas quanto  das relações interpessoais..

Depois da visita do Primeiro-Ministro Stephen Harper, acompanhado por quatro ministros, em agosto de 2011, as relações entre o Brasil e o Canadá foram renovadas. O Primeiro-Ministro Harper e a Presidente Dilma Rousseff anunciaram uma agenda ambiciosa.

Do ponto de vista multilateral, o Canadá e o Brasil trabalham cada vez mais juntos na Organização dos Estados Americanos, na Organização das Nações Unidas, no G20 e na Organização Mundial do Comércio em áreas como a promoção da diversidade cultural, o envolvimento em operações de manutenção da paz e avanços no respeito pelos direitos humanos no mundo. Como grandes produtores agrícolas, o Canadá e o Brasil têm um papel vital a desempenhar na abordagem da segurança alimentar e energética na região e no mundo. Colaboração em países de interesse mútuo como exemplificado na atual cooperação no Haiti onde trabalhamos com o Brasil para fortalecer a polícia nacional do Haiti e ajudar nos esforços de reconstrução. O Canadá participou de duas iniciativas de cooperação com o Brasil no Haiti: no apoio ao programa de vacinação e nos esforços para superar a violência urbana.

Relações Comerciais

As relações comerciais entre o Canadá e o Brasil têm tido, em anos recentes, um crescimento impressionante. O comércio bilateral cresceu 35,1% desde 2009, chegando a 5,6 bilhões de dólares canadenses em 2014, tornando o Brasil o 15º maior destino das exportações canadenses. Em 2014, as exportações canadenses ao Brasil totalizaram 2,2 bilhões de dólares canadenses em produtos comercializados, enquanto que o Canadá importa 3,5 bilhões de dólares canadenses do Brasil, fazendo do Brasil nossa 14ª maior fonte de importações globais. Em 2013, o Brasil foi a 6ª maior fonte de Investimento Estrangeiro Direto no Canadá com $18,5 bilhões de dólares canadenses em investimentos acumulados. O Brasil foi o 11º maior beneficiário do Investimento Direto Canadense no Estrangeiro, com um total de $ 11,1 bilhões de dólares canadenses no final de 2013. Cerca de 500 empresas canadenses estão activas no Brasil.

A agência Export Development Canada (EDC) está presente no Brasil há 14 anos. Desde 2000, o EDC facilitou mais de $20 bilhões em exportações e investimentos canadenses. Em 2013, serviu 338 empresas, comparadas às 169 em 2000, e seu volume de negócios no Brasil, em 2013, foi de $2,1 bilhões de dólares canadenses. Além disso, 861 compradores internacionais foram assegurados.

O Setor Comercial do Consulado Geral do Canadá identificou oportunidades de crescimento significativo para as empresas canadenses nos seguintes setores, bem adaptados às capacidades e interesses canadenses: Infra-estrutura, Educação, Tecnologias Limpas, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Petróleo e Gás, e Aeroespacial. Além destes setores prioritários, existem também oportunidades para o Canadá em Mineração, Defesa e Segurança, Ciências da Vida, Tecnologias Marítimas, Setores Automotivo, Energético, Agrícola e Agro-Alimentar, de Serviços e de Turismo. O Brasil é um parceiro chave para atração de investimentos, retenção e expansão de iniciativas, para colaborações em Ciência e Tecnologia, bem como para participação em Cadeias de Valor Global.

Parceiros para a Ciência, Tecnologia e Inovação

Pesquisa e inovação são também elementos centrais da agenda comercial do Canadá e um ponto cada vez de maior convergência mútua em nossas relações com as economias estratégicas, como o Brasil. Exemplos nos quais descobertas científicas são associadas a empresas que podem explorar elementos inovadores para vantagem comercial estão se multiplicando – ilustrando a amplitude de possibilidades previstas no Acordo de Ciência e Tecnologia firmado entre o Canadá e o Brasil.

O Acordo-Quadro para Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação entre o Canadá e o Brasil entrou em vigor em ambos os países em 2010. Este acordo serve como um quadro no qual os parceiros canadenses e brasileiros da indústria, academia e governo podem colaborar na investigação conjunta e desenvolvimento (P&D) de projetos, conferências científicas e workshops, troca e empréstimos de equipamentos e materiais, bem como a mobilidade de estudantes e pesquisador. Desde a ratificação do Acordo, a relação bilateral tomou novo impulso. O Acordo baseia-se nas importantes relações comerciais e políticas do Canadá com o Brasil, em um esforço para aumentar a pesquisa colaborativa e atividades de desenvolvimento e conduzir à comercialização de novas ideias.

Para fornecer direção estratégica para a implementação do Acordo, o Canadá e o Brasil estabeleceram uma Comissão Mista de Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação, que se reuniu pela primeira vez em Ottawa, no Canadá, em junho de 2011. A agenda Brasil-Canadá para a inovação é voltada para um Plano de Ação Conjunta em Ciência e Tecnologia. Este plano se baseia nas habilidades e competências de ambas as nações e visa promover o avanço tecnológico e inovação em áreas de interesse comum. O Plano de Ação estabelece uma série de importantes iniciativas e ações em setores prioritários como Tecnologias Marítimas, Tecnologia Limpa, Energias Renováveis, Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e Ciências da Vida. Destina-se a acelerar a cooperação entre comunidades científicas e tecnológicas junto a instituições educacionais.

Laços Acadêmicos e Culturais

O Canadá e o Brasil compartilham conexões culturais e acadêmicas fortes, que tiveram expansão ao longo dos anos. O Canadá vai acolher 12.000 estudantes brasileiros nos níveis de graduação, doutorado e pós-doutorado sob o programa o CsF até 2015.

Acadêmicos de todas as áreas do Canadá e do Brasil aproveitam as frequentes e regulares oportunidades de intercâmbio e cooperação, apoiadas por uma variedade de programas financiados por ambos os governos. A posição de Pesquisador Visitante no Canadá em Estudos Brasileiros envolve cinco universidades - Universidade York, Universidade de Western Ontário, Universidade de Quebeque em Montreal, Universidade St. Mary e a Universidade de Calgary. Estabelecido em 2003, este programa trouxe importantes brasileiros às universidades e reuniões no Canadá, incluindo uma conferência sobre biocombustíveis em 2008. O programa visa influenciar as orientações políticas e de pesquisa, construir o desenvolvimento institucional e aumentar nossa relação bilateral.

O governo canadense incentiva o fortalecimento de intercâmbios interpessoais por seupotencial para enriquecer o relacionamento Brasil-Canadá. Como complemento ao Acordo em Ciência e Tecnologia, no dia 30 de agosto de 2010, o Canadá e o Brasil assinaram um Memorando de Entendimento sobre os intercâmbios académicos e cooperação científica para impulsionar a inovação em ambos os países, usando projetos conjuntos de investigação orientada para a equipe.

Cooperação para o Desenvolvimento

A relação de desenvolvimento do Canadá com o Brasil evoluiu de doador receptor para uma parceria na cooperação para o desenvolvimento. A Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional (ACDI) fechou seu escritório e seu programa bilateral no Brasil, em 31 de março de 2011. Desde então, O Canadá e o Brasil assinaram um Memorando de Entendimento sobre a Eficácia da Cooperação para o Desenvolvimento Internacional durante a visita do Primeiro-Ministro Stephen Harper ao Brasil, em agosto de 2011. Este entendimento visa o avanço do desenvolvimento da relação Brasil-Canadá por meio do diálogo político, de uma política de investigação conjunta, do reforço dos vínculos institucionais e atividades de cooperação técnica em outros países.

O Canadá mantém um Fundo Canadense para Iniciativas Locais desenvolvido para apoiar pequenos projetos propostos e implementados por organizações locais no Brasil. Em provendo financiamento para pequenos projetos que oferecem assistência social, econômica e técnica direta às populações locais, o Fundo contribui para o objetivo global de redução da pobreza.

Abril de 2015


Footer

Data da última atualização:
2015-04-10