Governo de Canadá
Símbolo Governo de Canadá

Governo do Canadá

brasil.gc.ca

Breadcrumb

  1. Página inicial

Operação ao Alcance do Sul: o céu não é o limite para a cooperação Brasil-Canadá


 
Capitão Patrick "Paco" Gobeil recebendo cumprimentos após sua apresentação no show aéreo, em Pirassununga
(Foto: Cabo Pierre Habib)

Uma missão da Força Aérea Real Canadense chegou ao Brasil recentemente para iniciar uma operação de um mês para reforçar as relações no hemisfério sul e para posicionar o Canadá como um parceiro empenhado na defesa e segurança.


Canadenses nascidos no Brasil: Ten-Cel Luiz Araújo e Capitão Eric Willrich balançam a bandeira brasileira  
(photo du Cpl Pierre Habib)

   

Esquadrilha da Fumaça faz uma demonstração por cima da cauda do CF-18 Hornet
(Foto: Cabo Pierre Habib)

   

Cel Dinesh Kumar Singh, Adido de Defesa da Embaixada da Índia no Brasil, Karine Asselin, Conselheira da Embaixada do Canadá no Brasil, e Ten-Cel  Araújo dentro do Hércules
(Foto: Sanjay Vachali)

   

A Operação ao Alcance do Sul utilizou cinco aviões: três caças CF-18 Hornet e duas aeronaves CC-130 Hércules, oriundos de diversas bases em todo o Canadá, via Estados Unidos e Trinidad para o Brasil. Esta visita destacou as importantes ligações entre a defesa do Canadá e agendas de política externa, onde os nossos laços cada vez mais se reforçam mutuamente.

A tripulação da Força Aérea Real Canadense participou do show aéreo na Base Aérea Campo Fontenelle, em Pirassununga, sul de São Paulo. Este ano foi especial em comemoração ao 60º aniversário da famosa Esquadrilha da Fumaça da Força Aérea Brasileira, e contou com a participação das Forças Aéreas do Canadá e do Chile.

Pela primeira vez, a Força Aérea Brasileira também participou do exercício Maple Flag, em Cold Lake, Alberta. Esta cooperação será seguida, em novembro, pela participação do Canadá na CRUZEX, um exercício multilateral semelhante ao Maple Flag realizado pela Força Aérea Brasileira – mais passos históricos no relacionamento crescente entre o Canadá e o Brasil.

"O objetivo desta operação é fortalecer a nossa amizade no ar e no solo, colaborando com os nossos parceiros do Cone Sul."

Ten-Cel Luiz Araújo, Adido de Defesa canadense, Embaixada do Canadá no Brasil

Por um golpe de sorte, o Ten-Cel Araújo, cuja família emigrou para Toronto do Rio de Janeiro quando tinha 13 anos, se aposentará depois de concluir seu posto em Brasília. Com uma carreira de 34 anos e com um conhecimento dos dois países, a valorização de ambas as culturas lhe permitiu melhorar as relações bilaterais militares entre o Brasil e o Canadá.

Esta foi a primeira vez que o novo avião de carga CC-130J Hércules acompanhou os jatos CF-18 Hornet para fornecer equipamentos de apoio e ferramentas. A equipe do Hércules fez "de tudo um pouco ... nós acabamos de passar 10 anos voando no Afeganistão, realizamos várias evacuações de incêndios florestais no Canadá no ano passado, e acabamos de voltar da Líbia no mês passado", disse o piloto do Hércules, Capitão David Snow.

"É uma honra fazer parte desta missão histórica - a primeira vez que a Força Aérea Real Canadense voou em uma operação ao sul do equador" , disse o Capitão Willrich. O piloto brasileiro do Super Tucano, Tenente Carlos Amaral parabenizou os canadenses por voarem até o extremo sul e ficou impressionado com a fluência em português do Capitão Eric Willrich durante a apresentação de uma hora sobre a demonstração do CF-18 Hornet.

As estrelas do show aéreo, os pilotos da Força Aérea Real Canadense, posaram para fotos no meio da multidão na Base Aérea de Campo Fontenelle: "Ficamos muito entusiasmados em cruzar o equador pela primeira vez e fazê-lo em formação", disse o Capitão Denis Beaulieu, que viu seu experiente colega, Capitão Patrick "Paco" Gobeil, fazer uma manobra vertical subindo 90 graus para o céu, seguida de uma descida de 90 graus por cima do público.

O que chamou atenção dos espectadores foram mulheres integrantes das Forças Armadas Canadenses, destacando o exército canadense inclusivo - incluindo os mais altos níveis a Comandante da Esquadrilha icônica canadense, Tenente-Coronel Maryse Carmichael, em seu traje de voo distintivo vermelho, estava em alta demanda para fotos e perguntas curiosas do público brasileiro.

Na despedida, em apreço ao país anfitrião, os tripulantes canadenses, Subtenente Lorne Simms e Soldado Grace Pereira, acenaram a bandeira do Brasil de fora da cabine enquanto o novo modelo CC-130J Hércules entrava em posição para decolar.

Durante a Operação ao Alcance do Sul, as tripulações da Força Aérea Real Canadense também participaram do treinamento no Rio de Janeiro e continuaram ao Chile e à Jamaica antes de voltar ao Canadá.


 
O CC-130 Hércules taxiando para decolar com a bandeira do Brasil sendo acenada
(Foto: Cabo Pierre Habib)

Footer

Data da última atualização:
2012-07-30